Pintura do carro queimada: o que causa e como prevenir

Em um país tropical como o Brasil, é muito comum nos depararmos com a pintura do carro queimada. No entanto, muitas pessoas não sabem o que fazer quando isso acontece ou o que devem fazer para proteger seu veículo de apresentar manchas que são provenientes da exposição do automóvel ao sol, entre outros fatores.

Portanto, se você quer saber como cuidar bem do seu carro, continue a leitura deste post. Aqui, falaremos sobre os fatores que prejudicam a pintura do seu veículo e daremos algumas dicas de como cuidar e evitar que a lataria apresente manchas.

Conheça os riscos que o sol oferece à pintura do carro

Quando o automóvel é constantemente submetido a exposição solar, a alta temperatura pode provocar danos na pintura, nos bancos e nas partes plásticas do veículo — sem contar o desconforto térmico ao entrar no carro. Os raios ultravioletas que incidem sobre a lataria do veículo provocam manchas esbranquiçadas e queimaduras na pintura. Esses efeitos são ainda maiores em carros de cores escuras, pois essas tonalidades retêm mais calor e absorvem mais os raios solares.

Já em carros claros, a incidência do sol pode provocar descoloração ou amarelar a cor do automóvel, principalmente quando se trata de veículos brancos. Isso ocorre pois a camada de verniz que está sobre a pintura não se torna suficiente quando a exposição ao sol é contínua. Já nas partes plásticas, como para-choques, painel e puxadores, quando expostas continuamente ao sol, tendem a ressecar e ficar opacas, podendo até trincar.

Porém, além dos malefícios causados pela incidência frequente dos raios solares, a exposição contínua também propicia contato com dejetos de pássaros, seivas vegetais e chuvas ácida e de granizo. Todos esses elementos são extremamente prejudiciais para a pintura de um carro e podem intensificar os malefícios causados pela incidência do sol.

Entenda quais são os elementos prejudiciais à pintura do carro

Falaremos agora sobre os principais fatores que prejudicam a pintura do seu carro e o que você deve fazer para evitá-los. Portanto, leia atentamente e veja quais deles o seu automóvel está mais exposto e previna-se!

Dejeto de pássaros

O dejeto de pássaros é um dos agentes mais agressivos à pintura e pode ser intensificado pela ação do sol, manchando a lataria. Por isso, o recomendado é sempre ter um pano e uma garrafa d’água, para retirar rapidamente qualquer material que apareça.

Seiva vegetal

Já quando se trata de seiva vegetal, o indicado é removê-la com o auxílio de solventes à base de hidrocarbonetos, mais conhecidos como “tira-grude”. Quando o assunto é corrosão da pintura devido à chuva ácida, pode ser necessário uma nova pintura, polimento ou, até mesmo, cristalização.

Chuvas de granizo

No entanto, quando a proteção é contra chuvas de granizo, é preciso colocar o carro sob um local coberto ou utilizar uma capa revestida com forro espesso para que as pedras de gelo não danifiquem a lataria.

Maresia

Esse fator atinge os carros em cidades litorâneas, nos bairros que ficam próximos a orla marítima, já que a maresia traz consigo o salitre, material corrosivo para os metais e para as pinturas dos automóveis. Portanto, para amenizar os seus efeitos negativos, recomenda-se que o veículo seja protegido com uma capa enquanto estiver guardado.

Temperaturas extremas

Outro fator que deve ser evitado ao máximo é a exposição da pintura do carro a temperaturas extremas, especialmente em intervalos curtos. Para isso, recomenda-se o recolhimento do veículo em locais fechados, pois estes locais tendem a manter uma temperatura regular, o que é mais indicado para a vida útil da pintura do automóvel.

Áreas de construção

Áreas próximas à construção e reformas são bem nocivas para a pintura dos carros, por conta de diversos fatores, como respingo de tintas, poeira e outros dejetos produzidos no canteiro que podem danificar a tintura do veículo. Caso seja inevitável mantê-lo perto desses locais, recomenda-se cobri-lo com capas e outros materiais para evitar o contato direto com esses materiais.

Limpadores genéricos

Um fator que contribui e muito, tanto para a boa manutenção quanto para a má manutenção, são os limpadores. Caso eles não sejam escolhidos corretamente, você corre o risco de, em vez de ajudar a limpar o carro, prejudicar a qualidade da sua pintura. Para evitar esse tipo de problema, devem ser adquiridos produtos de qualidade e evitar a compra dos genéricos.

Entre estas alternativas de limpeza inadequadas, podemos citar a aplicação de detergente para a lavagem, uma vez que esse produto contém sal, que é extremamente corrosivo para a pintura automotiva. Cuidado também ao lavar o carro fora de casa, pois as duchas rápidas costumam utilizar materiais de limpeza que não são adequadas para a pintura do veículo!

Tome cuidado quanto à calcinação

A calcinação, também conhecida como pintura queimada, é um processo de envelhecimento da tinta do carro, fazendo com que ela apresente uma forte descoloração e outros defeitos em certas regiões do veículo. A maior parte destas manchas aparecem nas partes superiores da lataria do automóvel, como capô e teto.

A causa deste processo se dá pelo desgaste da resina, que dá proteção para a tinta, mantendo suas qualidades de cor e brilho. O desgaste da resina pode acontecer tanto por envelhecimento natural da tinta ou pela exposição da pintura do carro às intempéries — forte calor, chuvas etc. — ao longo dos anos.

Conheça os cuidados para proteger a pintura

Alguns cuidados são essenciais para que a pintura seja protegida e preservada. Eles podem ser desde tratamentos até a instalação de coberturas para sua garagem. Quanto a essa proteção, não fique preso a ideia de um lugar físico, como uma garagem. Há a possibilidade mais flexíveis, utilizando para tal a tela de sombreamento, que são práticas e rápidas de serem instaladas.

Proteção e revitalização da pintura

Polir a pintura após a lavagem é muito importante para evitar seu ressecamento, mas também é possível fazer a revitalização que, inclusive, é um pouco mais eficiente que o polimento. Ela é indicada para veículos que apresentem perda de cor.

Utilização de uma capa protetora

Essa é uma opção para quem deseja proteger o carro contra arranhões, acúmulo de pó e até mesmo um pouco mais dos raios solares. Contudo, alguns cuidados são necessários, como não utilizar a capa úmida ou com o automóvel ainda quente, para que não ocorra a formação de manchas no veículo.

Utilização de uma cobertura para guardar o carro

Mesmo com estratégias de cuidado e recuperação, a atitude mais indicada é não permitir a exposição extrema e contínua ao sol, aos pássaros e às intempéries. Por isso, o melhor é guardar o veículo em lugares cobertos, sombreados e protegidos dos fatores externos.

Entretanto, um local com cobertura para guardar o carro nem sempre é possível e alternativas devem ser encontradas. Uma delas é a adesão de telas de sombreamento para garantir proteção do seu veículo contra o sol.

Outra opção é a capa de proteção, que protege o carro do contato direto como sol e do acumulo de impurezas, como dejetos de pássaros e poeira. Recomenda-se também, a limpeza periódica do automóvel, utilizando os materiais corretos, aumentando a vida útil da pintura e mantendo a sua cor e brilho!

Porém, se sua garagem não é coberta e você não deseja investir grandes quantias na execução de um telhado, ou até mesmo perder a claridade no local, a opção é o uso de coberturas especiais de sombreamento, que protegem veículos contra fatores climáticos como chuva, sol, sereno e granizo e evitam o efeito de pintura do carro queimada.

Agora que você já sabe quais os cuidados necessários para evitar problemas como manchas e pintura do carro queimada, assine nossa newsletter, fique por dentro de mais novidades e conheça opções de coberturas ideais para diversas situações!

Deixe um comentário
Share This